EDIÇÕES ANTERIORES

O PERCURSO ANTERIOR DOS ENCONTROS AMAZÔNICOS

O primeiro evento organizado pelas/os pesquisadoras/es do GEPEM, versando sobre a questão da mulher e a perspectiva de gênero valorizou a rede teórica das Ciências Sociais. Essa preocupação favoreceu a realização do I Encontro Amazônico Sobre Mulher e Relações de Gênero, em novembro/1994, com a presença de estudiosos/as do Maranhão, Acre, Amazonas, Amapá, Rondônia e Roraima. Na ocasião, questões relativas à violência doméstica, à exploração rural e às práticas políticas vivenciadas pelas mulheres desses Estados foram discutidas. Os artigos apresentados foram publicados no livro A Mulher Existe? Uma contribuição ao estudo da mulher e gênero na Amazônia. Org. ÁLVARES, Maria Luzia & D'INCAO, Maria Ângela (Belém: GEPEM/GOELDI, 1995), com recursos da FUMBEL, órgão da Prefeitura Municipal de Belém.

ÁLVARES, M. L. e D’INCAO, M. A. Orgs. A mulher existe?

Uma contribuição ao estudo da mulher e gênero na Amazônia. 

Belém, GEPEM/Museu Paraense Emílio Goeldi, 1995. 252p. 

ISBN 85-7098-043-4

O II Encontro Mulher e Modernidade na Amazônia em abril/1996 foi prolífico em apresentação de trabalhos, com cerca de 60 artigos selecionados com temas voltados às questões da desigualdade de gênero e as propostas de luta pelas conquistas da cidadania de qualidade aspirada pelas mulheres e direitos humanos. Como o anterior, os trabalhos apresentados no Encontro resultaram na publicação de um livro em dois volumes: Mulher e Modernidade na Amazônia. Vol I. Belém: CEJUP, 1997; e Mulher e Modernidade na Amazônia. Vol II. Belém: CEJUP, 2001. Org. D'INCAO, Maria Ângela, ÁLVARES, Luzia e SANTOS, Eunice.

ÁLVARES, M. L., SANTOS, E.F. e D’INCAO, M. A. Orgs.

Mulher e modernidade na Amazônia. Tomo I.

Belém, CEJUP/GEPEM, 1997. 383p. ISBN 85-88760-01-0.

 

DINCAO, M. A., ÁLVARES, M. L. e SANTOS, E.F. Orgs.

Mulher e modernidade na Amazônia. Tomo II.

Belém, GEPEM, 2001. 208p. ISBN 85-88760-01-0.

Nesse mesmo ano, em setembro/1996 (23 a 27/09) as associadas do GEPEM organizaram o III Encontro Rede Regional Norte/ Nordeste de Estudos e Pesquisas Sobre Mulher e Relações de Gênero – REDOR, com o tema: Fundamentos Teóricos e Metodológicos de Gênero na Perspectiva Feminista, evento regional que agregou pesquisadoras e estudiosas do Norte e Nordeste, no período. Desse encontro resultou o livro: Desafios de Identidade: espaço-tempo de mulher. Org. ÁLVARES, M. L. M. (Org.); SANTOS, E. 1. ed. Belém: CEJUP, 1997. v. 1, 487 p.

Com o III Encontro Amazônico sobre Mulher e Gênero: As faces da diversidade, juntamente com o Encontro da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisas Sobre Mulher e Gênero – REDOR, em setembro/2008 (23 a 26/09), a festa acadêmica conseguiu participação significativa de estudantes e pesquisadores, com mais de 300 inscrições, 137 trabalhos apresentados, 06 mesas temáticas, a presença de estudiosas/os nacionais, regionais e locais. Os trabalhos constam da coletânea a seguir:

ÁLVARES, M. L., SANTOS, E.F. e CANCELA, C. D.

Orgs. Mulheres e gênero: as faces da diversidade.

Belém, GEPEM, 2009. 476p. ISBN 978-85-901292-7-1

Em 2009, de 17 a 20 de novembro, foi possível realizar o IV Encontro Amazônico sobre Mulher e Gênero - Mulheres Amazônidas: Imagens, Cenários, Histórias” e o “I Encontro de Pesquisadoras/es Paraenses Sobre Gênero, Mulheres, Cidadania". Este evento apresentou e discutiu a produção acadêmica na área de gênero, regionalmente representada no evento com mesas redondas e trabalhos inscritos, procurando incrementar a continuidade dos estudos e das vinculações do grupo com a sociedade mais ampla, aliando pesquisa, produção acadêmica e atuação política. Os artigos debatidos nas mesas e Áreas Temáticas foram \presentados na coletânea Mulheres amazônidas: imagens, cenários, histórias. Belém, GEPEM, 2011. 560p, organizado por MOTTA MAUES, M.A., ÁLVARES, M. L. e SANTOS, E. F.

MOTTA MAUES, M.A., ÁLVARES, M. L. e SANTOS, E. F.

Mulheres amazônidas: imagens, cenários, histórias: Belém,

GEPEM, 2011. 560p. ISBN 978-85-901292-8-8

O processo de construção de saberes num espaço onde o conhecimento científico tem um padrão tradicional, nestes anos de atividades, manteve a presença constante de pesquisadoras/es da área de mulheres e gênero em atividades múltiplas e formatou a transversalidade entre as grandes teorias e os enfoques contemporâneos que expunham diferenciais nos marcadores sociais, quando se processavam com a perspectiva de gênero.